Praticada pelos persas antigos, por volta de 500 a.C., a punição poderia se prolongar por dias.

O escafismo ou suplício dos botes era um método de execução praticado na Pérsia antiga. Os persas tinham essa horrível característica de executarem seus inimigos com uma morte terrível e muito lenta.

11 - Escafismo: O método de execução mais terrível da história

Diante de vários métodos de execução, o escafismo se destaca pelo seu teor frio, cruel e humilhante. O suplício dos botes consistia basicamente em pôr uma pessoa nua, deitada de costas pra baixo, em dois botes, um sobre o outro, e apenas as mãos, pés e cabeça ficavam para o lado de fora. A pessoa era forçada a ingerir leite e mel durante todos os dias em que se estendesse a tortura. Esse mesmo mel era jogado ao corpo da vítima para atrair insetos aos membros expostos. O leite e o mel serviam para duas coisas: prolongar o sofrimento, haja vista que não permitia que a pessoa morresse de fome ou desidratação, e fazer com que o indivíduo desenvolvesse diarreia.

escafismo 2 - Escafismo: O método de execução mais terrível da história

Os excrementos líquidos oriundos da diarreia apodreciam e vermes começavam a aparecer, juntando-se aos insetos que já estavam presentes, para devorar a carne gangrenada, cavavam em seus olhos, nariz, boca e entranhas. Nesse processo, a carne do corpo ia apodrecendo lentamente, causando muita dor e agonia.

De acordo com Plutarco, historiador e filósofo grego, Miltríades, sentenciado à morte pelo assassinato de Ciro, o jovem, foi submetido a tal pena, sobrevivendo 17 dias até morrer.

escafismo 4 - Escafismo: O método de execução mais terrível da história

Uma variação do mais horrenda do escafismo era realizar todo esse procedimento dentro da barriga de um animal de grande porte morto. Assim a vítima era submetida a dupla putrefação, a do animal e a sua própria.


 Veja também:   Os 10 tratamentos médicos mais bizarros da antiguidade

Loading Facebook Comments ...

Deixe um comentário