A protoporfiria eritropoiética pode ser a causadora do mito do vampirismo

Conde Drácula, Nosferatus, Damon Salvatori, são apenas alguns nomes dos vampiros que fizeram e fazem até hoje grande sucesso no mundo da ficção. Não se sabe ao certo como o termo vampiro surgiu, mas sabemos que mexe bastante com o nosso imaginário e já pôs medo em muito marmanjo por aí. Pesquisas recentes adicionaram mais uma teoria à origem dos vampiros e dessa vez, segundo eles, o vampirismo tem origem real e não fictícia. 

aHR0cDovL2VsaG9ycm9yLmNvbS5teC9xdWVob3Jyb3Ivd3AtY29udGVudC91cGxvYWRzLzIwMTUvMDYvZHJhY3VsYV9iZWxhX2x1Z29zaS5qcGc - Os vampiros podem ter origem real

 

De acordo com um estudo publicado na revista PNAS, a lenda do vampirismo pode ter uma origem real. Existe uma doença rara que faz com que as pessoas desenvolvam uma sensibilidade extrema à luz, a protoporfiria eritropoiética. Os que sofrem dessa doença podem sofrer queimaduras quando expostos à luz solar, mesmo em dias nublados. Em decorrência disso, se trancam em casa saindo somente no período noturno.

Acute photosensitivity reaction in EPP 2 - Os vampiros podem ter origem real

Dando mais ênfase às semelhanças com o vampirismo, a transfusão periódica de sangue, faz parte do tratamento. Veja só, palidez (haja vista que não toma sol), sensibilidade aos raios do sol e necessidade de sangue o que te parece?

Por isso, especialistas acreditam que no passado essa doença pode ter originado o mito do vampirismo.


 Fonte: History 

Loading Facebook Comments ...

Deixe um comentário